02 janeiro, 2007

O Início


Ainda não é, mas vai ser uma música isto aqui:


Vivo nas brechas que a vida dá
Entre as voltas dos ponteiros
Nas entrelinhas dos sonhos
No intervalo dos erros

Onde houver brecha me invento
Se me der corda eu agüento
viver assim de momento
com dor, com riso ou lamento

E se me carrega o tempo
se sou um compasso, um momento
De nota em nota reinvento
Componho, proponho, oriento

Da vida, sou passageiro em viagem
Ser vivo é mais que olhar a paisagem
Desafio os trilhos e pulo do trem
Ponho as mãos no mundo e tento ir além

Se sou intervalo entre o que fiz de mim
E o que a vida fez pra que eu fosse assim
Respiro e vou fundo viver nesta brecha
Não sei do futuro, seguir só me resta
Espio meu rumo pela luz de uma fresta

10 comentários:

Anônimo disse...

Vou estar sempre de olho aqui, hein?

parabéns

Rodrigo Francis

Bruno Ribeiro disse...

A letra é linda. Mal posso esperar pela música.

Mariana disse...

Legal Lígia!!!
Ótima iniciativa...
Vou estar sempre por aqui!
beijos

Anônimo disse...

Então além de cantar, tocar violão, flauta, a moça também compõe... adorei! Sobretudo do verso "Ser vivo é mais que olhar a paisagem". Resumiu tudo.

BeiJô

Anônimo disse...

Lí, adorei a poesia.
Reinventar-se também é uma arte.
Beijos e boa sorte!
Marina Franco

Tatiana disse...

Que bom! Que bom que veio para este mundo!
Linda, linda letra!

Lígia Moreli disse...

Obrigada amigos queridos pelas boas vindas!!

Marina disse...

Adorei!
Bjos

Lau disse...

Também passei por aqui e adorei! beijão e boas escritas!

Silo disse...

a música é minha, hein? rá