06 janeiro, 2007

Três Coisas



Três coisas pra mim no mundo valem bem mais do que o resto
pra defender qualquer delaseu mostro o quanto presto
é o gesto, é o grito, é o passo
é o grito, é o passo, é o gesto
o gesto é a voz do proibido escrita sem deixar traço
chama, ordena, empurra, assusta vai longe com pouco espaço
é o passo, é o gesto, é o grito
é o gesto, é o grito, é o passo
o passo começa o vôo que vai do chão pro infinito
pra mim, no que é uma estrada aberta, quem prende o passo é maldito
é o grito, é o passo, é o gesto
é o passo, é o gesto, é o grito
o grito explode o protesto:" -se a boca já não dá espaço que guarde o que há prá ser dito"
é o grito, é o passo, é o gesto
é o gesto, é o grito, é o passo,
é o passo, é o gesto, é o grito.

Mário Lago

2 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

adoro esse poema! grande lembrança!

Lígia Moreli disse...

lembrei que ouvimos ele na viagem, me deu vontade. acho que está bem propício para o meu dia!