31 julho, 2009

Calar, calar, calar. Engolir o choro. Sair da ilha da fantasia. Você está sendo sempre observado, analisado, avaliado. Seu ato mais sincero pode ser lido de "n" formas e geralmente são das piores e mais surpreendentes formas. Seus amigos de hoje em dois ou três anos, ou até em questão de meses, não serão mais seus amigos, não lembrarão mais das declarações de amor que te fizeram quando bêbados, emocionados, em algum final de festa ou de balada. O cara que dormiu com vc durante anos sairá da tua vida como quem doa uma roupa velha e dirá que o "que tinha pra ser vivido já foi vivido". Um dia você não terá mais teus pais e aí se verá totalmente só no mundo, sem espaço pra choro, pra lamentação.É acertar ou acertar, é ser forte ou ser forte. A vida, definitivamente não é a ilha da fantasia. Não é música. A vida é conta pra pagar. A vida é não confiar em ninguém. A vida é passar pelas avaliações pra ser promovido e adivinhar o desejo e a expectativa de quem está te avaliando. A vida é abrir as pernas, gozar e ser feliz por uma noite porque romantismo não existe. A vida não tem nada a ver com bossa-nova ou poesia. Nada. A vida é podre e tem que ser muito, mas muito forte mesmo pra encontrar algum sentido nela que dê um conforto e alguma felicidade. É até possível, mas o caboclo tem que ser muito do forte mesmo pra conseguir ser feliz no meio de tudo isso. E ainda rezar pra não pegar uma gripe suína, ou ser atropelado na rua, ou morrer de solidão, depressão e sentimento de inadequação com toda essa loucura. O nego tem que ser muito do forte, ou bem diferente do que eu sou, pra encontrar o mínimo de conforto dentro de si mesmo com tudo isso. Inadequação total. Preciso calar. Preciso calar. Preciso conter. Preciso silenciar. Preciso tentar um jeito de viver. Preciso mudar o conceito de tudo que eu achei até hoje que era viver. O mundo gargalha às minhas custas e eu só quero me esconder embaixo do meu edredon.

Um comentário:

Rita de Cássia disse...

Nessas horas, vc deve se lembrar do Tom Jobim cantando Lígia, do Bilica, da Mangueira na avenida, do Jajá sorrindo,do escondidinho com vinho, do Jardim Botânico do Rio, do Chico na Lapa com Hermínio Belo de Carvalho,de você cantando "De onde vem a canção", do seu pai imitando a Bê, das inúmeras rodas de samba com seu pai, dos elogios recebido pelo seu talento,garra, beleza, trabalho...., da casa nova que agora é sua.Ufa!!! Vale ainda a pena viver.Pense bem. Te amo.