10 abril, 2010

Nada será como antes

Novo local de trabalho, nova equipe, nova casa, nova companhia, novo amor, nova vida. Estou naquele período em que está tudo bagunçado para depois ficar melhor organizado, ou organizado de uma maneira diferente. A bagunça de fora se estende para dentro de mim. Empilho conceitos de lado, pego de volta, ajeito, arrumo aqui e acolá, arrasto, me posiciono melhor, mudo de idéia. Oscilo entre o gostar e não gostar, experimento jeitos novos. Sinto uma certa ansiedade em que tudo se ajeite. Ao mesmo tempo me sinto excitada com as novidades, com o que está por vir. Como uma criança que tem medo mas, ao cobrir os olhos, deixa uma fresta entre os dedos.

Nada será como antes
Milton Nascimento/Ronaldo Bastos

Eu já estou com o pé nessa estrada
Qualquer dia a gente se vê
Sei que nada será como antes amanhã

Que notícias me dão dos amigos?
Que notícias me dão de você?
Sei que nada será como está, amanhã ou depois de amanhã
Resistindo na boca da noite um gosto de sol

Num domingo qualquer, qualquer hora
Ventania em qualquer direção
Sei que nada será como antes, amanhã

Que notícias me dão dos amigos?
Que notícias me dão de você?
Sei que nada será como está, amanhã ou depois de amanhã
Resistindo na boca da noite um gosto de sol

Um comentário:

rita disse...

Para quem não gosta de rotina, a atual condição é um prato cheio. Aproveite!!! Boa sorte!!!